Vistos de cima, somos como o Google Maps nos retrata

autoria Miguel Ângelo Afonso

// data 12/04/2018 - 16:58

// 5991 leituras

Vistos do espaço somos intersecções. Somos paralelas, somos círculos. Somos linhas rectas e serpenteadas. Somos simetria, assimetria, verdes, castanhos, coloridos ou a sépia. Somos aquilo que construímos. Somos a acção humana num planeta que temos como nosso. Vistos do espaço, somos como o Google Maps nos retrata. E como Páraic McGloughlin nos mostra na sua curta experimental Arena.

 

"Queria criar uma espécie de efeito de videojogo retro com as imagens e sabia que queria começar com estradas rectas a 'balançar' pelos cantos do ecrã", referiu o autor do vídeo em entrevista ao portal Directors Notes. E porquê? Porque a vida é um jogo que deve ser jogado. Ou pelo menos é esta a sua premissa. Para a ilustrar, muniu-se do Google Maps. Criou vários rascunhos através de linhas animadas em 2D e depois foi só seguir o esboço. Encontrou cada imagem através da ferramenta da Google, colocou cada frame no seu lugar e depois tudo "foi crescendo sozinho".

 

"Dou muita atenção a imagens que tenham linhas rectas, simetrias e grelhas, uma vez que são muito diferentes dos padrões/formas criadas pela natureza", refere o realizador irlandês. "E é muito interessante para mim o impacto que temos no planeta, dando-lhe formas estruturais à medida que avançamos".

 

Destacada como um dos melhores do mês passado pelo Vimeo Staff Pick, o vídeo de Páraic McGloughlin é uma arena, um espelho onde os padrões lineares arquitectónicos contrastam com o ambiente natural do mundo. Um verdadeiro tabuleiro de xadrez onde onde a vida das peças vai sendo contruída. 

Eu acho que