Quando dois países se ligam para falar da distância

autoria Nuno Rafael Gomes

// data 02/01/2018 - 17:10

// 3250 leituras

Se há um imenso mar que separa Portugal do Brasil, também há pontes que os ligam, sustentadas por pilares de trocas artísticas. Já tivemos, ao longo dos anos, exemplos diversos de partilhas entre as duas culturas, e o Pequeno Livro dos Amores Particulares, através de histórias e ilustrações, estende-se Atlântico fora para falarmos — e lermos — sobre a distância. Os 30 contos do brasileiro Diogo Spinelli, 30 anos, são feitos de amor, já denuncia o título, mas também do vazio que afasta dois pontos. “O tema central do livro é, no geral, a distância, mas essa pode ser sentida física ou psicologicamente”, explica o português Ricardo Jorge, 39 anos, que ajudou “a definir as personagens de Diogo” através de ilustrações. Os protagonistas das histórias sentem o deslocamento entre sentimentos, pessoas, países e continentes.

 

A obra “feita a quatro mãos” resulta do “do desejo de fazer um livro entre amigos”, conta Ricardo, que também é arquitecto. Conheceu Diogo em Lisboa e a vontade de fazer encontrar a literatura e a ilustração entre os dois países nasceu aí, tendo o projecto começado no Verão de 2016. Entretanto, Diogo fixou-se na capital portuguesa, deixando para trás São Paulo. À equipa juntou-se Yoshiro Endo, 31 anos, a viver no Brasil, em Natal, no estado de Rio Grande do Norte, responsável pelo grafismo do Pequeno Livro dos Amores Particulares. O livro foi, em Setembro de 2017, apresentado na cidade de Yoshiro. Mais recentemente, foi a vez de Portugal ler estas particularidades em Lisboa, na livraria Ler Devagar, onde as ilustrações de Ricardo Jorge vão estar em exposição a partir de 2018.

Eu acho que