Nos bastidores sinistros da indústria de produção de carne

autoria Ana Marques Maia

// data 07/02/2018 - 18:06

// 44047 leituras

ATENÇÃO: Esta fotogaleria contém imagens que podem ser consideradas chocantes.

 

Nos últimos dois anos, os fotógrafos Luca Santini e Matteo Natalucci entraram, de noite e sem permissão, em vários centros de produção de carne. Viram "dezenas de milhares de animais amontoados em grandes superfícies, onde mal podiam mover-se e onde eram, muitas vezes, esmagados pelo peso dos restantes animais", descreveram ao P3, em entrevista por email. "Dentro destes lugares paira um ar irrespirável, espesso, que literalmente se entranha em tudo."

 

Visitaram, como denunciam as imagens, centros de criação intensiva de porcos, galinhas, perús, vacas e coelhos. "Deparámo-nos com uma gigantesca 'máquina-traga-vidas' que destrói milhões de animais todos os anos", descrevem. "[Nesses locais] invade-nos a sensação de que se passa algo de muito errado; é inevitável." Durante os raids nocturnos, como lhes chamam os fotógrafos, não constataram apenas a sobrelotação dos espaços. "Vimos infestações muito sérias de ratazanas que se misturavam com os animais e encontrámos, muitas vezes, animais mortos, em decomposição, junto dos restantes animais vivos."

 

Impressiona-os "a enorme quantidade de estabelecimentos que existe e que ninguém vê". "Durante um só dia é possível passarmos por milhares destes animais, enquanto conduzimos, sem que nos apercebamos de nada", referem, salientando que, em Itália, existem províncias onde a população suína supera, em número, a população humana. "Curioso, não é?" Luca e Matteo querem que a série de fotografias BLUE seja "a etiqueta que falta na embalagem" de carne e que todos vejam o "extremo oposto da nossa carne cozinhada: ou seja, crua".

 

Os jovens Luca Santini e Matteo Natalucci (@_lucasantini e @matnatalucci, respectivamente, no Instagram) são ambos estagiários no estúdio do multi-premiado fotógrafo italiano Paolo Pellegrin e já contam com alguns prémios em concursos internacionais, como o IPA (International Photography Awards) e o TIFA (Tokyo Photo Awards).

Eu acho que