Baptiste salta com vara... e um skate eléctrico

autoria Miguel Ângelo Afonso

// data 28/02/2018 - 18:28

// 2247 leituras

Será um skate eléctrico incompatível com a prática desportiva do salto com vara? Baptiste Boirie diz que não. Entre os cinco melhores atletas franceses desta modalidade, o jovem contou à RedBull que tudo começou em 2012, quando numa prova se questionou o que aconteceria se usasse o skate para transpor a fasquia. A resposta foi evidente e está à vista de todos.


Conseguindo ultrapassar os 4,60 metros — o equivalente ao mínimo para a qualificação olímpica feminina —, o gosto por desafios maiores começou e a ideia de ter um skate eléctrico surgiu. Com um protótipo de uma marca francesa de skates conseguiu superar os cinco metros. E depois? Nunca mais parou.


Ultrapassou os 5,70 metros em 2016 e, nos treinos, diz conseguir registar valores entre os 5,80 e os 6 metros. O próximo destino é o Livro do Guinness, para onde o atleta profissional diz esperar entrar até ao final do ano. Admitindo que (talvez) não tenha sido o pioneiro desta ideia — uma vez que há registo de, nos anos 70, um atleta ter tentado a proeza com um skate normal (porém, falhando) em Nova Iorque —, o jovem refere que esta modalidade "vai para além do atletismo".

 

Em declarações à RedBull, Baptiste refere que depois de alguns testes de radar se chegou à conclusão que a velocidade do skate pode ser menor do que a atingida por um corredor de alta velocidade. "Tenho feedback de vários colegas que tentaram, mas não conseguiram", conta o atleta. "Tentei com amigos de nível superior. Conseguiram ir além dos 4,50 metros e, no final, já quase atingiam os cinco metros." "Não estando muito habituados a andar de skate, assim que a velocidade aumenta, desestabilizam-se" e a aventura fica por aqui. Mas não para Baptiste. Confiante de que a moda vai pegar, principalmente nos Estados Unidos, a fasquia é apenas uma: superar os seis metros.

Eu acho que