Nuno Gonçalves

Desporto

U. Minho: atletas despem-se em calendário solidário para ajudar alunos em dificuldades

A edição de 2018 do calendário solidário da Associação Académica da Universidade do Minho já está aí e tem o custo de cinco euros. As verbas angariadas revertem a favor do Fundo Social de Emergência

Texto de P3 • 12/12/2017 - 13:28

Distribuir

Imprimir

//

A A

Já é quase um clássico natalício. O calendário solidário da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) está de volta pela quarta vez consecutiva e, uma vez mais, põe a nu (literalmente) atletas como uma forma de ajudar estudantes com dificuldades financeiras.

 

Desta feita, a edição de 2018 inclui fotografias a preto e branco de desportistas como Diogo Silva, aluno da Universidade Nova e campeão europeu universitário de judo em 2013, Bruno Correia, ex-aluno da U. Minho e capitão da equipa campeã universitária de futebol em 2016, e, pela primeira vez, de uma atleta espanhola — Rocío Sánchez Estepa, campeã mundial universitária de karaté em 2016 e medalha de bronze no mundial sénior de 2014, que viu neste projecto "uma excelente forma de ajudar outros universitários". A instituição informa ainda que uma "outra novidade" é a inclusão de uma equipa, desta feita a de andebol feminino da Universidade do Porto, que em 2010 conquisou o bronze no campeonato europeu.

 

Em comunicado, o presidente da AAUM, Bruno Alcaide, declara que esta "é uma iniciativa que promove aquele que tem de ser um dos princípios fundamentais do ensino superior, a igualdade de oportunidades, dando resposta às necessidades e dificuldades que inúmeros estudantes sentem nos seus estudos e no seu dia-a-dia". As imagens são da autoria de Nuno Gonçalves, fotógrafo, professor de judo na U. Minho e mentor da iniciativa, e o design ficou a cargo da GEN.

 

O calendário vai estar à venda a partir de quarta-feira, 13 de Dezembro, nas sedes da AAUM, nas reprografias dos campus, nos gabinetes de apoio ao aluno, pavilhões desportivos e no site Prozis. Tem o custo de cinco euros e todas as verbas recolhidas revertem para o Fundo Social de Emergência da institução. Já agora, fica o aviso: a edição de 2019 já está garantida. E, quem sabe, se com Telma Monteiro — o convite, pelo menos, vai ser lançado. 

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que